Arte reproduzida

Por José Carlos Araújo

Para agravar ainda mais a situação da política em Mato Grosso, o movimento de Combate a Corrupção (MCCE), não aleatoriamente, solicitou intervenção da Polícia Federal do estado. Isso em regime de emergência é lógico, pois se demora mais um pouco os candidatos vão pagar empresários para carregar nas costas seus cartazes de campanhas. E têm alguns que se sujeitam a isso!

Poderia até se dizer que o nível de poluição visual dessas eleições (2010) sobrepõe a qualquer anterior e com níveis elevados agravantes como, a partir do momento que nós motoristas não conseguimos contornar um cruzamento porque somos impedidos de ver algo a nossa frente.

Agora até farmácias, restaurantes e outros locais comuns estão praticando essa estapafúrdia ação dispensável e premeditada.

Na capital do estado, Cuiabá, é muito comum essa atitude ilegal e imoral. O fato foi denunciado depois que o (MCCE) realizou um verdadeiro laboratório pela cidade, fotografando e filmando tudo que via pela frente, e, detectou as ineficiências de quem sabe, das próprias autoridades, além da ignorância operante dos nossos políticos. Por aqui, (em Mato Grosso), eles fazem de tudo pela reeleição! A final de conta, que tem com tanta facilidade pretende arruinar-se o trono?

“É uma dessemelhança”, respondeu o coordenador do movimento, Antônio Cavalcante, que espera resposta da Procuradoria da Justiça Eleitoral.

Mesmo sabendo que a comprovação do crime pode resultar em cassação do registro dos candidatos envolvidos, e, até do diploma, as machas do “detrito eleitoral” esta a serviço das autoridades.

A sensação é que nossa teórica democracia se transforma a cada eleição num regime mais intransigente e complexo de evadir-se dele.