Não demorou muito para que surgissem as primeiras mudanças na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, com a queda do “imperador” José Geraldo Riva, a frente do trono há anos. Foi assim, a Justiça derrubou Riva (PP), que em seguida deu lugar a Mauro Savi (PR), que não pensou e exonerou imediatamente (34) funcionários indicados, ou fantasmas, reultando numa economia de R$ 100 mil de cara.

Isso significa que a política transformistas de Mato Grosso, é mais do que metamorfose, agora saber de que lado eles estão é a parte mais complicada. Segundo o atual presidente da AL, Mauro Savi, a idéa é cortar ao todo (280) assessores parlamentares, o pode significar gastos em torno de R$ 1 milhão.

Ufa! Até que em fim, alguém de peito para encarar Riva, pois dizem por lá que a cada corte o elo de choros esta formado. Mais não pode! O que isso? Como pode! E assim segue.