O secretário de meio ambiente de Sinop, norte de Mato Grosso, diante do caos vivido no município por causa das queimada este ano, tomou essa semana uma médida importante contra o INCRA de Mato Grosso. Ele protocolou um documento pedindo multa de mais de R$ 5 milhões contra Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agraria, no MInistério Público.

Rogério Rodrigues, acusa o órgão de não fazer nada para controlar um grande incêndio na região de Cláudia/MT (600 quilômetros), de Cuiabá, que destruiu mais de 10 mil hectares de mata nativa em duas áreas no mês de agosto. O fogo teria iniciado nos assentamentos de Zumbi dos Palmerares e 3 Nascentes controlados pelo INCRA.

No local fica a maior reserva de Castanheiras da Amazônia Legal, que teve parte queimada pelo incêndio.

O governo também foi omisso após disponibilizar apenas uma aeronave da Defesa Civilno combate ao fogo, que para ser controlado precisou de aproximadamente 20 caminhões pipas fornecidos pelos fazendeiros e mais uma segundo aeronave também de fazendeiros.

O fogo permaneceu aceso durante vinte dias até ser controlado.