foto divulgação

Por José Carlos Araújo

Todos os dias os veículos de comunicação informam sobre as ocorrências policiais. Seja no rádio ou na TV, os casos parece rotina.

Odete Tenk, “quase” foi assaltada nesse fim de semana. Bem, isso por aqui é bem comum, pois Sinop, norte de Mato Grosso apresenta esse grave defeito na segurança local e no planejamento social. Ela (Odete), disse aos policias que foi roubada aproximadamente (7) vezes.

Também é bem comum quando encontramos na delegacia, a segunda e única municipal, vítimas registrando pequenos assaltos, ou, assaltos relâmpagos como são conhecidos pelas policias.

Adolescentes usam armas como revólveres e bicicletas como fuga para praticarem seus crimes.

Uma prática existente e comum nesses pequenos assaltos e rápidos, é o uso de replicas de armas de fogo, seja artesanal ou de plásticos vendidas em lojas do município, mesmo sua comercialização sendo proibido no Brasil por Lei.

Resumindo, os jovens nunca ficam presos e suas vítimas quase nunca recuperam seus objetos.

O problema cada vez mais grave se transforma numa grande irresponsabilidade social e administrativa. E sabe do mais, ninguém consegue apresentar uma alternativa para se revolver o grande “charada” que atinge principalmente jovens entre (14) e (17) anos.