Por José Carlos Araújo

Uma mulher foi presa pela polícia militar de Peixoto de Azevedo, norte de Mato Grosso (650 quilômetros) de Cuiabá, esta semana sob a acusação crime eleitoral.

A mesma tem (33) anos e estaria cadastrando pessoas para trabalhar nas eleições desse ano em nome de Silva Barbosa – PMDB/MT e candidato ao governador; e também usava o nome o ex-governador licenciado Blairo Maggi – PR e que concorre a uma vaga no Senado.

Ninguém dúvida, mas comenta-se que a mulher estaria contratada pelos respectivos candidatos.

Agora a mulher, esta presa e também esta sozinha. Representantes dos partidos PR e PMDB do estado supostamente retiraram toda a responsabilidade dos candidatos dizendo que não havia encomendado tal pessoal para tal serviço – não permitido pelo Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

Ela teria segundo o delegado Geraldo Gezoni Filho, uma lista com 321 nomes já prontos para pedir votos.

Vejo que até outubro muitos terão problemas desse tipo, “e, não fui eu que contratei”.