O programa, lançado pela Adobe em 19 de fevereiro de 1990, tem uma história marcante de erros e acertos

O software Photoshop foi concebido em 1987, fruto de uma paixão – e de um acidente – de Thomas Knoll, na Califórnia, Estados Unidos. Knoll estava em casa trabalhando em sua tese de doutorado, quando criou um código em seu computador que exibia imagens em tons de cinza em um monitor de bitmap preto e branco. Como o código não estava diretamente relacionado à sua tese de doutorado, Knoll subestimou o seu valor. Mal sabia ele que esse era o primeiro esboço do fenômeno Photoshop.

Só mais tarde, quando seu irmão John Knoll se encantou pelo programa, ele percebeu seu potencial. Ambos trabalharam juntos para desenvolvê-lo e em 1990 o viram lançado pela Adobe, que havia comprado o programa. 

Hoje, 20 anos depois, ele conquistou mais de 10 milhões de usuários ao redor do mundo. Gerou muito lucro. Mudou o conceito de fotografia. E tornou mais rígidos os padrões de beleza femininos. Foi um descanso para as olheiras de atrizes cansadas e um vilão que ameaçou a carreira de muitos designers.

Ao longo dos seus 20 anos de existência, o Photoshop mudou a visão que temos da fotografia, do trabalho do fotógrafo e acabou intervindo nos rumos da sociedade. Para comemorar o aniversário do polêmico software, Galileu selecionou algumas dessas “photoshopadas” que entraram para a história, por serem desastrosas ou brilhantes. Confira:

Desastroso: Amputação

 

A atriz Emma Watson perdeu um pedaço da perna depois de passar pelo Photoshop. A catástrofe foi publicado recentemente na campanha de inverno da Burberry.

Brilhante: David Lachapelle  

O fotógrafo americano já convenceu dezenas de celebridades a fazer poses constrangedoras. Fotografou Angelina Jolie de boca aberta em posição sensual e Amanda Lepore cheirando diamantes. A foto abaixo, intitulada “Make over: Surgery Story”, é um dos exemplos de usos geniais do programa, inclusive para causar reflexões.

 

Desastroso: Os gêmeos de Silvio Berlusconi  

O Photoshop pode ser usado para fraudes. Como, por exemplo, aumentar a multidão de apoio ao Primeiro Ministro italiano, Sílvio Berlusconi. Repare que, na imagem publicada em uma revista italiana, o homem de camisa preta aparece nos dois lados da turba, espelhado.

 

Desastroso: Free Willy 

A capa do novo Free Willy é um bom exemplo do mau uso do programa. A água e o personagem que estão no plano de fundo são tão falsos quanto a amizade entre crianças e baleias.

Acesse o link abaixo e veja a reportagem na integra e outros detalhes.

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI122591-17770,00-PHOTOSHOP+FAZ+ANOS+VEJA+CASOS+QUE+ENTRARAM+PARA+A+HISTORIA.html