Por José Carlos Araújo

Falar sobre novas mídias e novas tecnologias não é tão difícil assim. Más, seria complicado entendê-las e como sofrem de maneira tão acelerado inúmeras mudanças. Como as pessoas conseguem acompanhar essas mesmas mudanças?

Poderíamos apontar vários exemplos de novas mídias e novas tecnologias e um desses exemplos seria o próprio celular – um dos meios mais avançados tecnológicos pós-modernos desse século.
Os primeiros modelos surgiram em 1972, e em 1984 ganhou padrão americano para ser introduzido no Brasil, e daí pra frente sofreu mudanças que nós conhecemos e com modelos sempre atualizados.

Mas, em fim, o Jornal O Globo produziu o vídeo Cia de Talentos em 2008 a fim de vender seu produto (a notícia), e por meio deste mesmo vídeo nos mostra de forma clara e bem objetiva essas mudanças tecnológicas.

O mesmo vídeo faz uma verdadeira síntese de como a informação chega até você. Uma das frases mais marcantes do tema é: “se existe escrita, nós escrevemos”, “se existisse no micro-ondas nós a cozinharíamos”… Enfim, relata ainda que antigamente a notícia esperava o Jornal sair para acontecer, e atualmente anda no próprio tempo. Ela é aprofundada, revisada, analisada, comentada (opinião) minutos depois… Aqui, onde você esta, no mundo, em qualquer lugar…
E finaliza: o jornal esta na tela (computador), na sua mão (celular), no papel (jornal) e em outros meios… Trecho que relata bem a aceleração das novas tecnologias que são implantadas nas novas mídias.

Por fim, lembra que apesar de todas essas mudanças – nós usuários (vítimas desses modelos de comunicação), precisamos ter envolvimento, compromisso com a sociedade e na visão do futuro (nossas crianças).

Esse exemplo relata bem o que podemos ver e o que podemos aprender no campo das novas tecnologias, pois, a novas mídias e novas tecnologias podem ser definidas como “Comunicação na pós-modernidade” – o que atualmente deparamos ao comprar um novo celular, ao acessar a internet (banda larga), ao esperarmos o nosso jornal as 06h00 da manhã em casa, ao ligarmos o rádio e a TV (de maneira resumida e atualizada) – para quem sabe, continuar a ser a televisão – o maior veículo de comunicação de massa do próximo século, mesmo diante de tantas surpresas tecnológicas.